Educação financeira

Artigo: A importância da educação financeira para crianças e adolescentes

Atualmente, o efeito do consumo vai muito além de um simples comprar algo ou não. O consumo tem transformado a essência das crianças e adolescentes. Por exemplo, ao invés do desenvolvimento infantil estar mais direcionado à criatividade e aquisição de experiências, o foco tem sido a quantidade de produtos adquiridos.

Comumente vemos crianças e adolescentes infelizes, se depreciando ou se desvalorizando porque não possuem o tênis, o celular ou o vídeogame da mesma marca que o amigo. A felicidade e o valor próprio parecem não mais pertencer ao interior (personalidade), mas ao exterior (bens materiais). Será uma forma de “terceirizar” a subjetividade do ser humano?

Então a Educação Financeira é muito importante e transcende as dicas práticas de lidar com o dinheiro. É uma oportunidade maravilhosa para os pais ajudarem os filhos a refletir sobre as escolhas e suas consequências. Tudo na vida é uma questão de opção, para ter determinado objeto (vivência, etc.), é necessário abrir mão de outra coisa. Pensar com eles sobre isso, ajudá-los a comemorar as conquistas e suportar as frustrações é o benefício fundamental da educação financeira.

Planejamento é a arma contra “imprevistos”. A disciplina adquirida com a arte de poupar acaba sendo transferida para outros campos, fazendo com que crianças e adolescentes consigam se projetar no tempo. Pensar no longo prazo é exercício para a inteligência financeira: tanto pais quanto filhos exercitam o hábito saudável e sustentável de investir. Assim, trocam a lógica do crédito (e dívida) pela lógica do investimento. Qual é o ganho? Além do dinheiro “guardado”, poder educar o filho para se tornar um investidor e não um endividado.

 

Este conteúdo foi útil para você?
Sim
Não
Obrigado pela resposta.

Conteúdos relacionados